Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Gata Christie



Quinta-feira, 11.07.13

Fábio Porchat

Foi por alturas do natal, num daqueles jantares onde conversa puxa conversa, que, já quase no fim da noite, nós todas com bandoletes de renas na cabeça, elas me mostraram a Porta dos Fundos. Começámos pelo Sobre a Mesa e o Nome do Bebê (que continuam, ainda hoje, entre os meus sketches preferidos) e depois quase não conseguíamos parar de ver os vídeos, uns atrás dos outros, descobrindo a maravilhosa Clarice Falcão, os engraçadíssimos Gregório Duvivier, Fábio Porchat, Antonio Tabet e todos os outros. Tratei de espalhar a novidade por colegas e amigos. Já viram? Não viram? Vão ver. A Porta tornou-se um vício. Motivo de gargalhadas inusitadas a meio de um dia de trabalho. Referência comum nas nossas conversas. Gritamos por Judite. Imitamos a Maitê. Pedimos tangerinas. Falamos com sotaque.

No sábado passado, o dia mais quente do ano, Fábio Porchat esteve em Lisboa num espetáculo de stand up comedy integrado no Famous Humour Festival e foi tudo aquilo que podíamos esperar dele. Histérico, apressado e muito engraçado. Ele não conta anedotas, conta histórias. Ele não goza com gordas nem com gente famosa, goza com ele próprio. E, sim, esta é uma boca para os humoristas portugueses e para o muito que alguns ainda têm que aprender. Foi tão bom. Ri tanto, mas tanto.

Diz-se que um homem que nos faz rir é melhor do que um homem que nos oferece um anel de diamantes. É um daqueles clichets. Mas, imagine-se, eu até sou uma rapariga que gosta de clichets.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Gata às 15:01


1 comentário

De macacagravaporcima a 12.07.2013 às 11:43

"eu tambêm tji amooooooooooooooooo" ahahahahahah Porta dos fundos rules!!!!

Comentar post




Pesquisar

Pesquisar no Blog