Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Gata Christie


Sábado, 18.01.14

"Esquecer a urgência de esquecimento"

"Há comprimidos eficazes para certas dores de cabeça, azia ou até para a tristeza, mas nenhuma droga, comprada na farmácia ou clandestina, consegue fazer-nos esquecer quem amámos. A única maneira é esquecer a urgência de esquecimento e continuar a caminhar. Não como se nada fosse, sem dúvida como se tudo pudesse ser."

escreve o Luís

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

por Gata às 21:15

Quinta-feira, 16.01.14

E foram felizes para sempre (1)

O João, com o tom provocante que lhe é característico, anda a dissertar sobre o "e foram felizes para sempre" e até já posso adivinhar, pelo rumo que a conversa está a tomar, que daqui a nada vamos estar a falar dos casais que desistem facilmente e do egoísmo reinante nos dias de hoje. Vai uma aposta?

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Gata às 15:34

Quarta-feira, 15.01.14

Borboletas

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

por Gata às 12:43

Segunda-feira, 30.12.13

Um ano na montanha russa

Reduzido assim a palavras soltas até pode parecer que este foi um ano mau. E não foi. Foi um ano de decisões e de mudanças. E as mudanças, mesmo quando são desejadas e inevitáveis, complicam-nos a vida. Este foi um ano complicado e de muitas adaptações (para mim e para os miúdos). Mas. 2012 tinha sido um ano de desesperança, este foi o ano de acreditar. 2012 tinha sido um ano para cuidar dos outros, este ano decidi cuidar de mim. Olhar para mim. Foi tempo de avançar. E é verdade que nem sempre as coisas correm como nós imaginamos. Continuo a supreender-me com a capacidade que algumas pessoas têm para mentir  e agredir os outros. Houve momentos muito dolorosos, sim. Mas. Também foi o ano em que aprendemos a viver e a ser felizes a três. Em que me aproximei ou reaproximei de algumas pessoas muito queridas. Em que, mais uma vez, pude confirmar que tenho alguns amigos mesmo especiais (só por me aturarem já seriam uns santos, mas fazem muito mais do que isso). E em que aconteceram muitas coisas boas. Mesmo. Fui muito feliz neste 2013. Muito mais do que poderia sequer sonhar há doze meses. Os momentos felizes valem sempre a pena, aconteça o que acontecer. E as boas memórias ficam para sempre. Por isso. Este não foi um ano mau. 2012 tinha sido um ano mau. Este foi o ano de seguir em frente. Uma e outra vez. E continuar sorrindo.

Chegar ao final deste ano é como chegar ao fim de uma viagem na montanha russa. Um frio na barriga, as pernas a tremer, mas uma vontade louca de dar mais uma voltinha. Bora lá, 2014?

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Gata às 13:04

Quinta-feira, 21.11.13

Do amor

Do amor que preciso, mesmo quando não o quero admitir. Dito pela Catarina e tão bem dito que tenho de o partilhar.

"No início quando a vontade é apenas esquecer que o mundo existe e viver a paixão, e ficar horas a olhar e a conhecer o outro, há uma limitação, há um mundo que não pode parar. Quem tem filhos sabe isso, quem não tem filhos aceita isso. Aceitar alguém com filhos significa acolher uma bagagem, um passado, que tem rosto, voz, birras, pai ou mãe. É uma bagagem visível e incontornável. "

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Gata às 16:33

Quinta-feira, 14.11.13

De graça

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Gata às 20:06

Quinta-feira, 07.11.13

Porque sim

"O sentimento de ser eleito está presente, por exemplo, em toda a relação amorosa. Porque o amor é, por definição, um dom não merecido; ser-se amado sem mérito é justamente a prova de um amor verdadeiro. Se uma mulher me diz: amo-te porque és inteligente, porque és honesto, porque me dás presentes, porque não andas no engate, porque lavas a louça, sinto-me decepcionado; este amor tem o ar de ser qualquer coisa de interessado. É muito mais bonito ouvir: estou louca por ti".

Estou louca por ti porque sim.

Lembrei-me deste excerto de 'A Lentidão', de Milan Kundera, escolhido por uma amiga especial para uma ocasião especial há muito tempo, apenas para dizer isto: quando se gosta realmente de alguém é impossível conseguirmos explicar porquê. É algo que se sente e pronto. Mas quando não se gosta conseguimos sempre encontrar milhares de justificações.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Gata às 09:52

Quinta-feira, 17.10.13

E assim acontece

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

por Gata às 10:33

Sábado, 12.10.13

Décalage

Quando terminamos uma relação é provável que à medida que a tristeza passa e que a paixão se dilui, à medida que recuperamos a razão e voltamos a ver o mundo com clareza, é provável, dizia, darmos por  nós a pensar mas como é que eu gostei daquele gajo, ou mas como é que eu fui capaz de acreditar em, ou mas como é que eu não vi que, ou mas como é que eu me dei ao trabalho de, ou mas como é que eu fui tão tonta, até chegarmos aliviadas à conclusão que nos livrámos de boa, foi o que foi. O problema é que mesmo depois de sabermos isto tudo às vezes ainda leva algum tempo até o sentirmos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

por Gata às 20:53

Segunda-feira, 23.09.13

"Não posso adiar o coração"

"Não posso adiar o amor para outro século

não posso

ainda que o grito sufoque na garganta

ainda que o ódio estale e crepite e arda

sob montanhas cinzentas

e montanhas cinzentas


não posso adiar este abraço

que é uma arma de dois gumes

amor e ódio

não posso adiar

ainda que a noite pese séculos sobre as costas

e a aurora indecisa demore

não posso adiar para outro século a minha vida

nem o meu amor

nem o meu grito de libertação


não posso adiar o coração


Não posso adiar o amor para outro século"

 

 


António Ramos Rosa

(1924 - 2013)

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Gata às 23:39



Pesquisar

Pesquisar no Blog