Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Não simpatizo com a professora Bruna como não simpatizo com nenhuma pessoa, homem ou mulher, que acha que para ter sucesso na vida lhe bastam um palminho de cara ou de corpo e um pouco de lata. Gente que dorme com o chefe a troco de promoções. Gente que vai a reality shows a troco de fama. Gente que se despe a troco de dinheiro. Acho mais triste o que esta sessão de fotos (mázinha, por sinal) revela sobre o seu carácter do que o que revela sobre o seu corpo. Mas não é isso que está aqui em causa: ela não foi punida por ser ambiciosa, foi punida por mostrar as mamas.
Não simpatizo com a professora Bruna e, se me perguntassem, eu diria que não gostaria que ela fosse professora dos meus filhos. Tal como não gostaria de ter uma professora que fosse de extrema-direita ou que maltratasse animais ou que desse erros de português ou que fosse uma cabra. São coisas que me incomodam. Não são motivos para proibir ninguém de exercer a sua profissão. De resto, Freud explicaria melhor do que eu porque é que há falhas dos professores que são permitidas e outras que dão azo a movimentos populares. Tem tudo a ver com sexo. Como sempre.

Tags:

publicado às 22:07


12 comentários

Sem imagem de perfil

Matilda 20.05.2010

Visto de quem vive fora, parece que os portugueses andam todos loucos.

Entao se eu fosse mãe gostava de ver os meus filhos a ver fotos minhas nuas?

Eu sei que isto pode parecer mto off para a mente de quem 'vive' o noticiário portugues todos os dias e depois gosta de dizer que portugal é retrógrado, mas ser professora (é suposto) ser a pessoa que educa no lugar da mãe, quando esta está a trabalhar ou nas coisas que esta nao sabe ensinar.

Fiz-me entender? Claro que ela nao pode continuar a exercer. A profissao nao é compativel com fotos na Playboy.

Eu sou a favor de fotos naturista (já poisei para elas eu mesma) mas sei também que nao é compativel com educar jovens. Que é preciso escolher.

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor