Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



30
Out13

Escolhas

Falei há uns dias com um comandante da marinha sobre o filme 'Captain Phillips'. Ele esteve na Somália naquela altura, lembra-se perfeitamente do caso e contava-me a sua surpresa por o filme estar tão bem feito, todos os pormenores batiam certo, nada de erros grosseiros a apontar, nada do espetáculo hollywoodesco e pouco verosímil que é costume neste tipo de filmes. "Claro que a realidade não tem banda sonora, mas de resto é tudo muito real", disse-me.

Fiquei curiosa. E hoje, num impulso, decidi ir ver o Tom Hanks. Não é o tipo de filme que me atraia particularmente mas, sendo baseado num caso real e tendo esta garantia de que não ia ver o 'Pearl Harbour' nem outra qualquer lamechice a adular os heróis americanos, arrisquei. Poucos minutos depois de começar já estava toda encolhida na cadeira. Mesmo conhecendo a história e sabendo exactamente como aquilo ia terminar não dava para controlar os nervos. O coração aos saltos. A tentação de roer as unhas. Tapar os olhos para não ver. Sofrer com o sofrimento daquele homem. Querer sair a meio e querer ficar ao mesmo tempo. Emocionar-me. Uma tortura. Gostei do filme, pois gostei, e vale a pena, sim, senhor, mas ainda assim para mim foi uma tortura. Saí dali como se tivesse levado uma surra por dentro, o que não é surpresa nenhuma. Não é a primeira vez que isto me acontece. E, conhecendo-me, era até bastante previsível que isto iria acontecer.

Mas a questao é: porque é que eu insisto? o que me leva a enfiar-me numa sala escura a meio da tarde, para ver um filme destes, sabendo eu de antemão que vou sofrer assim? não teria sido melhor ir ver o 'Romeu e Julieta' ou 'O Sentido do Amor' ou outra coisa qualquer? sabendo eu o que sabia não seria melhor evitar esta camada de nervos que só me faz cabelos brancos? o prazer de ver este filme é superior ao sofrimento que ele me causa?

Tags:

publicado às 16:41


Mais sobre mim

foto do autor