Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



O taxista chamava-se Roy, conhece o benfica e o sporting e lamentou a morte do Eusébio. Fez imensas perguntas e no final da viagem de 15 minutos:

- Are you single?

- Sometimes, respondi, rindo. E ele deu-me um cartão com o contacto da empresa para que trabalha para o caso de eu precisar de um taxi nestes dias.

Cheguei há meia hora e na recepção já me cruzei com um casal de jovens portugueses. O bar do hotel já fechou e o empregado explicava-lhes que, a estas horas, só iriam encontrar o mcdonalds aberto. Trocámos um sorriso cúmplice, como quem diz estes holandeses são muito estranhos. Eles puseram as luvas e os gorros e foram ao mcdonalds, eu vesti o pijama e fiz um chá na chaleira eléctrica que tenho no quarto.

O hotel não tem comida mas tem internet à borla, o que é muito bom. Esqueci-me de trazer um rato para o computador, o que é uma seca. Fiz um zapping à procura da passadeira vermelha e o melhor que encontrei, além da CNN, foi um filme do wolverine ou coisa do género. Mas tenho dois canais porno de acesso livre. Não um, mas dois. Acho que vou dormir.

O Roy garantiu que amanhã só vai chover até às duas da tarde. Espero bem que ele tenha razão. Amesterdão com chuva não tem graça nenhuma.

publicado às 23:43

02
Mar14

Fui à tropa




André e. Teodósio e Joana Manuel (os meus preferidos) em 'Tropa Fandanga', a revista à portuguesa dos Praga no Teatro Nacional D. Maria II.

Um grupo de intérpretes fantásticos e que se divertem imenso em palco, e isso já é meio caminho andado para divertirem o público. Tem momentos muito bons, de rir às gargalhadas, e outros que não são bem o meu género de humor. Tem um número sério. E ainda. Os figurinos da Joana Barrios. As músicas do Sérgio Godinho. A ida à guerra. A virgem maria a cantar Daft Punk. É ir, é ir que vale muito a pena.

Tags:

publicado às 15:01


Mais sobre mim

foto do autor