Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



No ano passado, à conta do centenário, andámos às voltas com a Primeira Guerra Mundial. Este ano vai ouvir-se falar muito da Segunda Guerra Mundial. Passam 70 anos desde o final da guerra, o que significa que, este mês, passaram 70 anos da libertação de Auschwitz, e daqui a uns meses iremos assinalar os 70 anos do lançamento da bomba atómica. Aqui temos bons pretextos para pensarmos um pouco sobre a maldade dos homens e sobre as atrocidades que cometemos (ainda hoje, por esse mundo fora), sobre o sentido da guerra e sobre a possibilidade ou impossibilidade de fazer justiça. Num momento em que já são poucos os sobreviventes que podem dar o seu testemunho sobre o que viram e viveram naquela época e em que, sabe-se lá como, parecem ressurgir as teses que negam o Holocausto, vejam, por favor, 'Night Will Fall', um fabuloso documentário de Andre Singer que está neste momento em exibição no Cinema Ideal, em Lisboa, juntamente com mais dois filmes sobre a Segunda Guerra. Eu vi-o no Youtube e fiquei a pensar no impacto que aquelas imagens teriam sobre mim se as visse em grande ecrã.

Assim que consiga vou ler também o novo livro de Esther Mucznik, 'Auschwitz, um dia de cada vez'.

E ainda vamos só em janeiro.

publicado às 18:46

27
Jan15

A gripe (2)

Tudo tem um lado positivo. No caso desta gripe malvada, o lado positivo está cheio de filmes:

O Passado, de Asghar Farhadi

Por detrás do candelabro, de Steven Soderbergh

Foxcatcher, de Benett Miller

A Teoria do Tudo, de James Marsh

Sniper Americano, de Clint Eastwood

 

(ainda não estou pacificada com isto de ver filmes pirateados. tento minimizar os problemas de consciência, dizendo que a probabilidade de ir ao cinema nesta altura da minha vida seria... nenhuma. portanto, é assim ou nada. apesar de tudo, ainda me custa um bocadinho, confesso.)

publicado às 23:11

26
Jan15

A gripe

Uma gripe é uma gripe. Dá febre, dores no corpo, tremores de frio, uma vontade enorme de ficarmos deitados sem falar com ninguém. O costume. É tomar os medicamentos, beber chá de gengibre e limão e esperar que passe. O pior não é a gripe. O pior é uma pessoa ter que se levantar às sete da manhã e sair de casa e levá-los à escola. E, depois de passar o dia todo na cama, ter que voltar a sair de casa para os ir buscar à escola. E adormecer no sofá e por isso só se lembrar às 9 da noite que ainda ninguém jantou e despachar tudo com leite e torradas (os miúdos adoram). E no dia seguinte ser sábado e a gripe estar lá igualzinha e dar graças a deus por haver televisão e playstation e outras tecnologias. E aproveitar aqueles momentos bons em que o benuron está a bater para ir ao supermercado e fazer o jantar e ajudar nos trabalhos de casa e estender a roupa e essas coisas todas que é preciso fazer, apesar da gripe e das dores no corpo e da febre e dos tremores. 

Sim, todas as mães fazem isto, o tempo todo, esquecem as suas dores para tomar conta dos filhos. Mas há umas vezes que custam mais do que outras. Esta foi uma dessas vezes. Maldita gripe. Maldita solidão.

Tags:

publicado às 00:01

Hoje escrevo sobre dois livros que gostei muito de ler. Não é uma crítica. É só um apontamento sobre algo que me pôs a pensar.

(e depois deste afã inicial, vamos ver quando voltarei a ter tempo para escrever à máquina)

publicado às 13:57

22
Jan15

Aquela máquina

Máquina de Escrever é um novo site dedicado à cultura criado pelo Nuno Galopim. Tem notícias, críticas a filmes, discos e livros, alguns ensaios, artigos de opinião. E tem muita e boa gente amiga a escrever. A ideia não é substituir os jornais mas antes dar espaço a tudo o que não cabe na rigidez dos jornais.

De vez em quando, também eu andarei por lá, para falar de algumas das coisas que me interessam. Ora espreitem.

publicado às 10:56

17
Jan15

Soccer Mom *

DSCF1330.JPG

 

 Acordar às 7.15 num sábado. E ainda é só o começo.

* nada a ver, na verdade

publicado às 13:50

17
Jan15

Janeiro

Quero muito ver o novo filme de Clint Eastwood, 'Sniper Americano'. De todos os filmes que estão nomeados para os Óscares, este é dos que mais despertam a minha atenção. Também gostava de ver 'O Sal da Terra', o filme sobre o fotógrafo Sebastião Salgado que está nomeado para melhor documentário. Tenho alguma curiosidade pelo 'Vício Intrínseco', por ser do grande Paul Thomas Anderson. E pelo 'Invencível', da Angelina Jolie, que não está nomeado para nada.

Acontece-me isto, todos os anos, por esta altura. Há uma quantidade enorme de filmes que gostaria de ver, entusiasmo-me, faço planos, e, no final, acabo por ver só dois ou três. Se tanto.

Tags:

publicado às 00:31

infinito-me.jpg

 

Tags:

publicado às 10:47

charlie.jpg

Um nó na garganta ao longo de todo o dia. Como dizia um colega meu esta tarde, as vidas destas pessoas não valem mais do que as vidas das outras pessoas, mas o que estas mortes simbolizam é inegável - é um atentado à democracia e à liberdade. De todos nós. É impossível não ficar revoltado (outra vez, mais uma vez, quantas vezes mais?).

publicado às 22:06

Filmes no cinema e em casa, um amigo cedeu-me uma pen bem recheada e tentei aproveitar ao máximo o facto de, por estes dias, os canais Tv Cine estarem disponíveis para os pobres. Querem saber o que vê uma mãe de família quando não tem que ver o sponj bob, os pinguins de madagáscar ou as tartarugas ninjas? Por exemplo, e entre outras coisas, isto:

Very Good Girls, de Naomi Foner

A Lancheira, de Ritesh Badra

Nebraska, de Alexander Payne

Ida, de Pawel Pawlikowski

Boyhood, de Richard Linklater

Sete Dias Sem Fim, de Shawn Levy

Ontem à noite deixei a meio O Clube de Dallas, de Jean-Marc Vallé e ainda tenho muitos filmes para ver. A felicidade também é isto.

Tags:

publicado às 09:20

Pág. 1/2



Mais sobre mim

foto do autor