Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Ainda a propósito dos argumentos parvos que se têm usado para defender a existência de brinquedos de menina e brinquedos de menino, dei por mim a pensar na roupa de homem e roupa de mulher. Há assim tanta diferença?

Pus-me à procura de uma peça de roupa ou acessório que seja exclusivamente masculino e não me lembrei de nenhum: calças as mulheres já usam há muito tempo, gravatas também, camisas, jardineiras, macacões, blusões (os tais bomber da moda), bonés... até boxers as mulheres usam. De facto, tantos anos de luta feminista têm dado os seus frutos. As mulheres conseguiram mudar a sociedade e tornar natural o que há séculos era impensável. (a Lina também já falou disto, vão lá ler).

O que existe, e não podia ser de outro modo, são modelos diferentes para se adaptarem aos diferentes corpos. As boxers das mulheres não podem ser iguais às dos homens. As blusas das mulheres precisam de espaço para as maminhas. As calças das mulheres têm de se adaptar às formas do corpo da mulher. Da mesma forma que existem modelos para corpos mais gordos e outros para corpos mais magros, para pessoas maiores e mais pequenas. As pessoas não são todas iguais.

O que não existe é essa abertura para os homens que ainda são muito criticados quando querem usar uma peça de roupa tradicionalmente associada às mulheres, como uma saia ou um vestido (um homem que usa saia é feminino? e uma mulher que usa calças é masculina?). O preconceito está entranhado muito fundo, mas estou em crer que lá chegaremos. Não será ainda na minha geração que isto de mudar mentalidades leva o seu tempo mas o caminho faz-se caminhando e o caminho já está a ser feito.

smith.jpgEste é Jaden Smith, de 17 anos, filho de Will Smith e Jada Pinkett Smith.  

publicado às 12:13

A discussão em torno dos brinquedos do McDonalds atingiu níveis de ridículo que julgava impensáveis. Adoro sobretudo os que dizem ah, não há brinquedos de menino e de menina? então, qualquer dia também não há roupa de homem e de mulher, ou então deixa de haver casas-de-banho para homens e para mulheres, querem ver? Não queria entrar por aí. Uma coisa não tem nada a ver com a outra. Não estou a ver como é que a divisão dos sanitários públicos poderá contribuir para a perpetuação dos estereotipos de género, que é o que estava em causa nesta discussão. A comparação pareceu-me tão ridícula que tinha decidido não ceder à tentação de discutir aqui este assunto.

Mas, depois, pensando melhor, agora que falam nisso... por que raio há de haver casas-de-banho para homens e outras para mulheres?

Se houver casas-de-banho com compartimentos individuais fechados, por que motivo é que homens e mulheres não hão de ir às mesmas casas-de-banho indiferenciadamente? Pensem lá bem. Quantas vezes não nos encontrámos, apertadinhas, à espera, à porta da casa-de-banho de um restaurante, enquanto ao lado está uma casa-de-banho disponível, igualzinha à nossa, apenas com um símbolo diferente na porta? Será mesmo necessário haver essa separação? E não me venham cá dizer que as meninas e os meninos precisam de estar separados enquanto lavam as mãos. Não só não precisam como, de facto, isso já não acontece na maior parte dos sítios, em que há só um lavatório e depois uma porta para o sanitário dos meninos e outra para o das meninas. Faz algum sentido esta divisão?

toilet.jpg

publicado às 10:10


Mais sobre mim

foto do autor