Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



02
Jul08

De pequenino

Uma pessoa embala um bebé nos braços. E os braços começam a doer, o bebé é grande, mais de cinco quilos para trás e para frente. Mas uma pessoa insiste. É tão bom dar um colinho. O bebé adormece. Parece um anjo, os olhos fechados, o rosto calmo, os lábios quase que sorriem. Uma pessoa vai pôr o bebé na cama. Devagar. Com jeitinho. Com mil cuidados. E, de repente, os olhos do bebé abrem-se e olham para a mãe como quem diz ah, ah, achavas que me enganavas, era?, e desata num choro estridente como se uma pessoa lhe tivesse batido ou algo do género. Uma pessoa volta a pegar-lhe ao colo. E aguenta. Como dizia o poeta, mais valera se não fora para tão grande amor tão curta a vida. E é assim, com estas manhas, que os filhos começam, desde o berço, a dominar os pais. Qualquer dia, não há de faltar muito, está a pedir-me para ir à discoteca.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 17:54


2 comentários

Sem imagem de perfil

De Paula a 02.07.2008 às 13:29

Eles sabem-na toda!
:)
Bjs!
Sem imagem de perfil

De Eduardo Turismo a 03.07.2008 às 14:31

Já lá vão 12 anos em que senti isso! Que cansaço! As dores nos braços! Mas.... TENHO TANTAS SAUDADES DESSES MOMENTOS!
Muitas felicidades!

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor