Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



02
Jul08

De pequenino

Uma pessoa embala um bebé nos braços. E os braços começam a doer, o bebé é grande, mais de cinco quilos para trás e para frente. Mas uma pessoa insiste. É tão bom dar um colinho. O bebé adormece. Parece um anjo, os olhos fechados, o rosto calmo, os lábios quase que sorriem. Uma pessoa vai pôr o bebé na cama. Devagar. Com jeitinho. Com mil cuidados. E, de repente, os olhos do bebé abrem-se e olham para a mãe como quem diz ah, ah, achavas que me enganavas, era?, e desata num choro estridente como se uma pessoa lhe tivesse batido ou algo do género. Uma pessoa volta a pegar-lhe ao colo. E aguenta. Como dizia o poeta, mais valera se não fora para tão grande amor tão curta a vida. E é assim, com estas manhas, que os filhos começam, desde o berço, a dominar os pais. Qualquer dia, não há de faltar muito, está a pedir-me para ir à discoteca.

Tags:

publicado às 17:54


2 comentários

Sem imagem de perfil

Eduardo Turismo 03.07.2008

Já lá vão 12 anos em que senti isso! Que cansaço! As dores nos braços! Mas.... TENHO TANTAS SAUDADES DESSES MOMENTOS!
Muitas felicidades!

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor