Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Agradeço do fundo do coração a todas as feministas deste mundo. Às sufragistas e às que queimaram soutiens. Às mulheres que moveram o mundo enquanto os homens andavam nas guerras. Às que lutaram pelo direito a vestir calças. E minissaias. Às que fizeram com que as mulheres deixassem de ser posse dos homens - e agora até já podemos sair do país sem autorização deles e tudo. À primeira mulher taxista. À primeira mulher ministra. À primeira astronauta. Admiro-vos imenso, a sério. Mas, agora, o que eu queria mesmo, era ser casada com um homem rico, não ter que trabalhar e poder ficar em casa a tratar dos miúdos e a experimentar receitas fantásticas. As voltas que o mundo dá.

publicado às 22:35


11 comentários

Sem imagem de perfil

Dorushka 07.03.2010

É verdade, tantos direitos adquiridos com tanto sacrifício de tantas e tantas mulheres e agora muitas de nós só gostavam de poder dar-se ao luxo (é mesmo um luxo, nos dias que correm!) de ser donas-de-casa! Eu também queria...
Sem imagem de perfil

rosmaninho 08.03.2010

o meu marido não é rico (vou dispensar a graçola do "mas é um rico marido") e eu optei por ficar em casa com os miúdos a cuidar deles e a experimentar receitas fantásticas e a descobrir talentos insuspeitos em mim. mudámos de região , os miúdos foram para uma escola pública, falamos num 4º filho e não sinto saudades da minha carreira em ascenção.

por isso tudo, o que mais agradeço a todas essas muheres lutadoras no dia de hoje é a oportunidade que me deram de poder escolher o meu caminho.
Sem imagem de perfil

Sophis 08.03.2010

Também eu ;)
Sem imagem de perfil

Mamã 08.03.2010

Concordo com a Rosmaninho.
Essas mulheres fantásticas defenderam causas específicas, mas deram-nos muito mais do que isso. Deram-nos a LIBERDADE DE PODER ESCOLHER.
Sem imagem de perfil
como se leu já por aí: "tanto se lutou pelos direitos das mulheres e agora para renunciar a eles é um cabo dos trabalhos".

no meu caso, não esperei que o meu marido fosse rico.
Sem imagem de perfil

Carla Isabel 08.03.2010

Que post tão interessante...
É verdade...agora que temos direitos adquiridos gostavamos de ter dinheirinho para escolher ficar em casa tranquilamente a viver de rendimentos e acompanhar o crescimento dos filhos e passear e tudo e tudo!

Bjs
Sem imagem de perfil

Vanessa da Trindade 09.03.2010

Não digam isto nem a brincar. Estão tontas? Perder direitos? Eu cá adoro ter imensa pressão no trabalho, andar sempre a correr, comer refeições descongeladas á pressa e não ver as minhas amigas, igualmente ocupadas, durante semanas. Já para não falar da educação da minha filha que me passa totalmente ao lado e eu adoro!
E as contas para pagar? Adoro montes e montes delas, qual homem, qual quê? Eu adoro pagar as minhas contas. Faz-me sentir importante.

Bom já vi que não pertenço a este grupo. Adeus.

Vanessa da Trindade

www.voodooepatine.blogspot.com
Sem imagem de perfil

MaLLu 09.03.2010

Concordo com tudo com uma pequena diferença: eu não queria um marido rico, queria um marido PODRE de rico. Porque para além dos miúdos e das receitas fantásticas também queria umas belas sessões de compras (já sei que não és adepta mas eu não dispenso!).
Bjs,
Raquel
Sem imagem de perfil

Vanessa da Trindade 12.03.2010

LOL.
Mallu Bem visto. Um marido podre de rico... para todas.
Vanessa
Sem imagem de perfil

O Idiota 12.03.2010

Olá.
Peço desculpa pela intromissão.

Venho convidá-lo(a) a acompanhar as histórias d'O Idiota.

Humor/Sarcasmo/Entretenimento e boa disposição:)

Obrigado.
Miguel

Comentar post


Pág. 1/2



Mais sobre mim

foto do autor