Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Tenho uma ideia.
Quando estão prestes a ter um filho, os dois elementos do casal deveriam sentar-se a conversar e chegar a um acordo. Deveriam combinar que nos próximos, digamos, seis a oito meses, o casal vai ficar imune às discussões. Ou seja, nada do que for dito em discussão durante este período deverá ser levado a sério. Nenhum dos insultos será tido em conta. Nenhuma das críticas terá consequências futuras. Nenhuma das barbaridades (quando uma pessoa se irrita costuma dizer e fazer muitas barbaridades) será considerada imperdoável (excluem-se deste acordo, por motivos óbvios, as traições - uma traição é uma traição, seja em que momento for). Este período durará o tempo necessário até que a mãe deixe de amamentar (recuperando depois o domínio total do seu corpo, devidamente cicatrizado e com as hormonas devidamente controladas); até que, já com biberon, a criança possa passar mais do que três horas longe da mãe e até passar a noite ou parte da noite em casa dos avós; até que o pai já consiga passar um dia inteiro com o filho sem se atrapalhar nem telefonar à mãe de cinco em cinco minutos; até que a mãe já tenha voltado ao trabalho e o casal já tenha encontrado a sua rotina nesta nova fase da vida; até que toda a gente lá em casa já consiga dormir uma noite descansada ou o mais perto disso que se conseguir. Também se aconselha a que, por esta altura, a criança saia do quarto dos pais (não é necessário mas ajuda muito). Findo este período, os elementos dos casal pedirão mutuamente desculpas por todos os impropérios que disseram e por toda a resmunguice acumulada e avançarão para esta nova etapa sem sono nem rancores. Dizendo em conjunto: o pior já passou, agora é que é à séria.
Palpita-me que esta minha ideia iria evitar bastantes divórcios.

publicado às 16:21


7 comentários

Sem imagem de perfil
Querida.... precisas de um mimo?
A verdade é que estamos muito cansados. Todos. Levamos uma vida muito acelerada e quando chega o fim do dia, caraças, já em sabemos o nosso nome.
Boa sorte
Sem imagem de perfil

SPP 25.07.2008

Olá, isto é tao verdade!!!! Tou a passar e a sentir tudo isto ...
é uam altura muito muito dificil, onde tudo nos passa pela cabeça.
Espero chegar a esse dia das desculpas vamos ver com me vou aguentar ate lá.
Força tb para ti. Bjs
SPP
Sem imagem de perfil

SMS 26.07.2008

Need help?
Love U.
Sem imagem de perfil

Maria Joao 27.07.2008

havia tanto para dizer sobre este tema... Mas não temos tempo... Boa sorte.
Sem imagem de perfil

Joana Pestana 28.07.2008

Tudo isso é muito acertado. Só é pena termos de passar por tudo antes para chegarmos a essas conclusões.
Sem imagem de perfil

joão belo 03.08.2008

não sei se evitariam alguns divórcios, até porque cheguei á conclusão de que não deve o homem (ou a mulher) unir aquilo que deus desuniu, mas que pelo menos ganhariam mais calma para se deliciarem com esse fantático período da nossa vida.
Sem imagem de perfil

Anónimo 21.08.2008

Tudo o que dizes faz sentido mas é no mundo do faz de conta. A realidade, digo-te eu que sei da coisa, por muito anos vividos e por muitos filhos, é infelizmente totalmente diferente. Todos os impropérios que se trocam, ficam gravadíssimos para sempre.

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor