Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Uma pessoa abre um livro e, logo no primeiro parágrafo, isto:

"A ideia de normalidade associada a duas pessoas está-me tão entranhada que a falta do outro é como a de um membro. Não é da solidão ou do desamparo ou da melancolia que me queixo, é da deficiência em si. Já me casei e descasei três vezes, já vivi mais feliz sozinha do que acompanhada; mas jamais me habituarei a esta deformidade. Para uma senhora, é como andar na rua sem carteira, de mãos abanar."

Rita Ferro, 'Veneza pode esperar' (Dom Quixote, 2014)

Tags:

publicado às 10:16



Mais sobre mim

foto do autor