Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Dia 6, quarta-feira, 18 de março
Tornei-me uma pessoa que faz ginástica quando está na fila da farmácia ou do supermercado. Visto de fora devo parecer bastante ridícula, eu para ali a rodar os braços e as levantar as pernas. Estou-me nas tintas. Estes pequenos passeios matinais têm sido o meu momento zen. Procuro não ouvir as conversas. Concentro me em aproveitar o sol, mexer o corpo, manter a distância e ser simpática para toda a gente.
Assim vamos.
Um dia de cada vez.
(Obrigado a quem tem "estado" comigo nestes dias, vocês sabem quem são.)

Dia 7, quinta-feira, 19 de março
Resisti durante anos e bastaram uns dias de quarentena para ceder: fui comprar um reprodutor de sinal para a Internet chegar ao quarto dos miúdos. Assim já não temos que passar o dia os três enfiados na sala e de vez em quando há um deles que se isola para fazer uma videochamada ou para ver netflix.
Para combater o tédio, o Pedro tenta reproduzir as experiências que encontra na Internet e que geralmente metem balões com água ou fósforos com papel ou outra coisa qualquer potencialmente desastrosa. Até agora não aconteceu nenhum acidente. Mas também nenhuma experiência resultou...
Fiz um bolo para aproveitar umas bananas muito maduras e uns ovos-pré-corona cujo prazo estava a terminar. Ficou bem bom.
Ainda não comemos atum mas de amanhã não passa.

Dia 8, sexta-feira, 20 de março
Chuviscava de manhã cedo.
Fui ao talho e à padaria. Comprei o jornal no quiosque (há quanto tempo é que eu não comprava um jornal?).
Estreei-me nas vídeo chamadas e ri-me com elas ao telefone (há quanto tempo é que eu não ria?).
Ao jantar, abri uma garrafa de vinho. Porque é sexta-feira. E amanhã é dia de limpezas e trabalhos da escola.

Dia 9, sábado, 21 de março
Os rapazes fizeram trabalhos da escola.
Eu passei a ferro e depois tomei um anti-histaminico, liguei o spotify e dediquei-me a limpar a casa. Mudámos os lençóis, aspirámos e limpámos o pó, lavei toda a cozinha e as casas de banho. Troquei a areia do gato e deitei o lixo fora. Lavei o chão. Adoro o cheiro do chão lavado.
Tomei um banho um bocadinho mais longo do que o habitual.
Jantámos restos.
Comi chocolate.
Não vi notícias.
Ontem adormeci a ver as tartarugas ninja com os miúdos. Mal posso esperar para ver com que filme vou adormecer esta noite.

Dia 10, domingo, 22 de março
De manhã escrevi para o jornal, à tarde escrevi para o blogue. Escrever ajuda-me a organizar as ideias.
Os putos foram ao terraço - têm ido quase todos dias, uma hora pelo menos. Não é muito mas é o que temos.
Fui fazer o meu "passeio higiénico". Hoje não estava com muita energia mas obriguei-me a sair de casa.
Chocolate e vinho. Este fim de semana foi péssimo ao nível das calorias.
Acabei um livro e vi dois episódios de The Crown.
Quase podia ser um domingo como outro qualquer.
Quase.

Dia 11, segunda-feira, 23 de março
Hoje o resumo do dia é fácil: trabalhei. E não foi pouco.
Trabalhei e mandei mails aos professores do Pedro a dizer mal desta porcaria toda e só não os mandei para o raio que os parta mais os seus trabalhinhos porque me contive (mas não prometo nada para amanhã).
Os rapazes foram ao terraço.
Eu não saí de casa.
Quando eu terminei de trabalhar, o Pedro fez um teste de português.
Jantámos pizzas do Auchan.
Estou oficialmente farta da quarentena.

Dia 12, terça-feira, 24 de março
Sabem quando temos uma insónia e ficamos três horas acordados a meio da noite a enfiar-nos num buraco escuro e profundo de onde, julgamos, será impossível sair? A boa notícia é que depois acordamos de manhã e, surpresa, a vida segue e não é assim tão negra e, aos poucos, até nos parece ser possível que as coisas melhorem.
Hoje foi assim.
Com calma.
Com muita calma.
O António fez trabalhos de matemática e de português.
O Pedro teve a sua primeira vídeo chamada com a turma e isso deixou-o mais animado. E fez os trabalhos de inglês sozinho (mas com mil distracções pelo meio).
Terminado o trabalho, eu fui passear e apanhar sol e pensar nisto tudo. Recebi um telefonema salvador de uma amiga. Cozinhei sem pressas. Fiz uma feijoada só para mim.
Não me zanguei o dia todo nem mesmo quando o Pedro entornou - com uma bola! - o meu último copo de vinho.
Acho que até dissemos umas piadas ao jantar.
Estou de quarentena mas as coisas que me fazem bem são exactamente as mesmas de antes.

#keepsafe #lifegoeson

publicado às 09:15


Comentar:

Mais

Comentar via SAPO Blogs

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



Mais sobre mim

foto do autor